Hepatite transmitida na manicure?


DEPENDE
"É perigoso se os materiais não são esterilizados adequadamente", afirma o dr. Brunnquell. Eles precisam ficar mais de duas horas a uma temperatura de 160 graus, em uma estufa ou autoclave, para destruir os vírus do HIV e da hepatite.

Não por acaso, pesquisa recente mostrou que uma em cada dez manicures de São Paulo tem hepatite do tipo B ou C, ambas transmitidas pelo contato sanguíneo. O perigo maior ocorre na hora de remover a cutícula, por causa de possíveis microssangramentos.

E tem mais: bactérias e fungos também podem ficar escondidos em lixas e alicates. Resultado: micose da unha ou perionixite - inflamação da pele ao redor da unha. Para evitar essas doenças, melhor levar seu próprio kit mais o esmalte.

1 comentários:

  1. julianatf_ disse...:

    Obrigada pela informação, foi de grande valia. Sou manicure e é sempre bom ter informações como esta. Se possível gostaria de saber mais sobre doenças infecciosas que tem mais riscos de contaminação e como posso previni-las para não colocar em risco minhas clientes. Obrigada Fábio, um beijo e adoro você. Juliana