William Bonner


Por NINA RAMOS

RIO DE JANEIRO - Até o fechamento desta entrevista, o número de seguidores que constava no perfil de William Bonner no microblog Twitter era 908.173 mil. Sem sombra de dúvidas, até a publicação desta matéria no Famosidades, nesta quinta-feira (9), a marca já estará bem mais alta. O jornalista que invade a casa de milhões de brasileiros todas as noites com o “Jornal Nacional” se rendeu à novidade da web e virou, da noite para o dia, o “tio” da galera.

Sem saber muito como as coisas iriam acontecer, Bonner abriu uma conta no microblog e começou despretensioso. Aliás, ele segue assim até então. O grande barato é que via web os milhões de brasileiros que o assistem na tela da Globo conheceram uma nova face do apresentador e editor-chefe do telejornal mais importante do país. Instigados por essa nova mania de Bonner, o Famosidades encarou o desafio e quis saber do próprio se ele o considera um “viciado” na ferramenta.

“Sim. É inegável”, resumiu Bonner, em entrevista exclusiva. “É divertido ver a reação da ‘tropa’ a meus comentários prosaicos. Não levo trabalho para o microblog. Procuro somente me divertir. Digo, lá, à uma da madrugada: ‘Putz! Achei uma torta de limão na geladeira! - e fico espiando as mensagens que recebo de volta. Bobagem pura, de ambas as partes”, contou.

Vale lembrar: para quem não sabe, o “vício” rendeu a Bonner o prêmio Shorty Awards, que homenageia os melhores produtores de conteúdo em tempo real no Twitter. Ele empatou com Rachel Maddow, da MSNBC, na categoria Jornalista. “Se eu usar o microblog como um local de diversão, como faço, de maneira respeitosa, como procuro fazer, não vejo em quê possa ser prejudicial [ao trabalho]. Ao contrário, a exposição de meu lado mais brincalhão serviu para me aproximar do público. Para ele [público], sou o ‘tio’ do Twitter. Na verdade, eu mesmo já me trato assim”, revelou.

Nascido em Ribeirão Preto em 16 de novembro de 1963, William Bonemer Júnior conta com mais de 20 anos de carreira e hoje é um dos jornalistas de maior prestígio no Brasil. “É inevitável que minha posição no ‘JN’ leve muitos jovens a se mirarem em mim. Este fato - e o meu esforço de educar três cidadãos brasileiros de bem [os trigêmeos Laura, Beatriz e Vinicius] - são mais do que suficientes para exigir de mim um comportamento digno na profissão e na vida privada”, pontuou.

Nas próximas páginas você confere na íntegra o papo com Bonner. Ele falou ainda sobre o dia a dia do Jornalismo, perfeccionismo e contou o que Fátima Bernardes acha sobre seu perfil no Twitter. Para finalizar, Bonner encarou quatro perguntas fora do comum. Você acha que ele prefere Madonna ou Beyoncé? É só clicar e tirar a prova:

1 comentários:

  1. jeveaux disse...:

    Lindo casal, Fátima Bernardes e William Bonner. Eles se “encaixam...”
    Excelentes profissionais! Parabéns pelo Post! Obrigada.